Um Sonho

Eu estava deitada em baixo da árvore, cochilando. Quando um menino de cabelos dourados e brilhantes como o sol trazendo lápis e papel na mão veio ao meu encontro, gritando:
-Ei! Desenha-me uma borboleta!
-O quê?
-Desenha-me uma borboleta!
-Para quê você quer uma borboleta?
=Para a minha flor. No meu planeta não há borboletas. Ela pediu uma, desenha para mim?
Não foi muito difícil saber quem ele era. Mas eu achava que o Pequeno Príncipe era mais educado e pedia “por favor”. Iria reclamar, mesmo sonolenta, mas me lembrei de algo que me deixou preocupada:
-O que houve com o carneiro? Antoine disse que esqueceu de lhe dar uma coleira, caso contrário ele iria fugir…
-Como sabe disso?
-Você é o Pequeno Príncipe!
-É desse modo que me chamam? Você conhece o Antoine? Onde ele está?
-Ouvi dizer que ele havia se perdido no deserto da Líbia e…
-Eu falei para ele não me procurar!
-Você é famoso. Antoine escreveu um livro sobre você. Milhões de crianças já leram e…
-Crianças? Onde estão?
-Bem, muitas delas cresceram e…
-Pessoas grandes!
-Sim, pessoas grandes.
-Não gosto de pessoas grandes! Você não é grande e nem pequena. Por que?
-Eu sou adolescente.
-O que é isso? É doce? É de comer?
-Não. É um meio-termo da vida. Uma fase de muita dúvida, incompreensão e…
-Você já leu o meu livro?
-Sim. Muitas vezes. É possível aprender bastante com ele…
-Desenha-me uma borboleta?
-Não.
-Por que não?
-Por que se eu desenhar uma borboleta você vai logo embora.
-Não é verdade! Eu venho te visitar quando você quiser. Basta olhar para o céu e a estrela mais brilhante…
-…É onde você mora. Eu sei, mas Antoine fez o mesmo e você nunca voltou.
-Por que ele sempre olhava na direção errada. Eu o via do meu planeta e acenava. Ele não soube procurar direito e sempre olhava para o vazio…
-Não há outro modo de eu vê-lo novamente?
Ele pensou em silêncio e respondeu:
-Então sonhe. Sonhe sempre comigo e eu virei nos teus sonhos.
-Você promete?
-Mais que isso: Se trouxer meu livro da próxima vez, te presentearei com um raio de sol. Muito em breve precisaremos também procurar o Antoine.
Ele não sabia que se passara tanto tempo. Saint-Exupéry não estava mais entre nós.
-Tudo bem. Vou confiar em você. Agora me dê este papel. O que você quer? Uma borboleta?
-Sim!
E fiz o combinado. Faria qualquer coisa para garantir a volta daquele rapazinho. E este foi o meu primeiro contato com meu mais novo amigo. Quando olho para o céu, as estrelas piscam e cochicham entre si: “É ela!”. E vejo o Pequeno Príncipe acenar, deixando vez ou outra, uma borboleta voar até minha janela.

(Continua…)

Anúncios

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s