Invisível

“Todas as vezes que você passa e nem me vê
Fico pensando no que eu faria pra ter você
Pra ter você de qualquer forma
De qualquer jeito, qualquer maneira
Você nem sabe que eu estou ficando infeliz
Não posso mais guardar comigo os versos que eu já fiz”
::Vou ficar nu pra chamar sua atenção – Erasmo Carlos

-Você confia em mim?

Levi me abordou com essa pergunta que, para mim, foi por demais surpreendente.

-Não confio em ninguém com menos de trinta. Nossa geração é uma merda.

-Tá bom. Mas você me responde uma pergunta?

-O que é?

-O que foi aquela cena de ontem?

A cena de ontem em questão eu me lembro bem. Mas estava torcendo para que ele não perguntasse.

-Ele ainda mexe com você, não é?

-Ele quem? – Sorri, ironicamente, tentando desviar.

Ele.

Soltei um longo suspiro e disse:

-Tá bom. Vamos conversar ali na escada.

Sentei, entediada. Já pressentia quanto tempo levaria aquela conversa.

-Não consigo lidar com isso, Levi.

-Ontem eu percebi. Levou um certo tempo, mas depois eu notei. Quando ele chegou perto de Larissa e ficou fazendo graça, você simplesmente fechou o livro, abriu a mochila, guardou-o, levantou-se e disse que iria sair. Fiquei pasmo com a tua reação.

-É, eu também. Achei que podia superar, mas não consigo. Você já percebeu? Sou uma intrusa na vida dele! Nada me prende a esta escola. Não nesse turno. Não estudo mais pela manhã, mas é como se algo me prendesse. E não falo de vocês, meus amigos, mas de algo indefinido, algo que está aqui dentro, algo que permanece perturbado, porém intocável, indefinido…

-Mas…

-Eu sei que tenho as minhas próprias pernas e caminho onde bem entendo. Mas pensar dessa forma seria orgulho demais da minha parte. e eu já não tenho todo esse veneno. A realidade é que quando ele chega perto de mim, sinto medo. Medo do que pode me causar mal. Agora eu o vejo como inimigo. Não se trata mais de amor, já não tem nada a ver com amor. É saudade de tê-lo por perto porque a companhia dele era ótima. Gostava mesmo de tê-lo ao meu lado. Acho que não sou essa pessoa forte que todo mundo pensa. É uma máscara, carapuça.

-E você já se perguntou do por quê de usar essa máscara?

-Acho que é defesa de quem não sabe expressar o que sente.Para afastar aqueles que amo. Acabo decepcionando antes de saber que vão desistir de mim. Queria que alguém me provasse um amor de verdade. Sem se preocupar com aparências e exigências. Mas é tão ruim amar em silêncio e viver de coração apertado! E ainda tem essa falta de explicações. Estamos sem dirigir a palavra um ao outro há mais de três meses e o ano já vai acabar. Não nos cumprimentamos. Sequer olhamos nos olhos. É uma indiferença infinita e isso dói muito. E o pior de tudo é o fato de que eu aceitei fazer o papel de culpada, porque sei que mereço punição. E eu nem consigo odiá-lo. Ele ainda é uma boa pessoa, apesar de tudo.

Levi ficou sem palavras diante do meu desabafo e eu prossegui:

-Mas acho que essa é a forma que ele encontrou para enfrentar a dor. E eu mereço, pois causei tanto mal… Acho que ser tratada como um nada é difícil, mas também é só metade do real castigo que eu mereço. É ruim, é doloroso, sinto-me um lixo perto dele, ser tratada dessa forma é a pior coisa do mundo. As coisas mudaram por motivos desconhecidos à mim.Ele se afastou de tal forma que… não vejo chance de volta. Ele simplesmente finge que eu não existo. Me excluiu da vida dele.

Não me recordo qual rumo levou a conversa depois disso, mas sei que aderi – e muito bem – ao ofício de ser invisível. E devo aceitar o meu castigo sem esperança de méritos. Tudo que me consola é esta inútil escrita. O agora. Pois hoje vejo que relembrar o passado é angustiar a própria alma. É perder o chão e todas as virtudes. É render-se facilmente ao termo “saudade”. E saber que nem assim ele notará minha existência.


“O meu melhor sorriso eu dei você não viu
Gritei seu nome mas nem assim você me ouviu
Por mais que eu faça não adianta
Você nem nota minha existência
E os dias passam correndo e de esperar vou morrendo
Vou acabar ficando nu pra chamar sua atenção”
::Vou ficar nu pra chamar sua atenção – Erasmo Carlos

*Uma leve citação bem-humorada consta lá no blog Pouco Lirismo, confira em: www.pouco-lirismo.blogspot.com
Anúncios

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s