Sobre amar oficialmente

Nunca precisei recorrer aos princípios da religiosidade para justificar o amor. Não gosto de alianças. Não acredito em simples ( ou luxuosos ) anéis que podem ser facilmente furtados ou perdidos, sejam capazes de simbolizar eternamente o que sentimos por outra pessoa.
Gosto de pessoas únicas. Daquelas que não precisam ser comparadas a ninguém pelo simples fato de que guardam em si gestos e palavras que traduzem sua identidade. Sorrisos, olhares, o estalar de dedos e até os seus passos intensificam o charme daquele indivíduo. Isso é amor: Memórias e detalhes que se vão com o tempo. Um pacto como 2 e 2. Não o anel mais caro da loja ou o vestido de noiva daquele estilista famoso.
Não penso que amor depende de um papel assinado com testemunhas para tornar-se oficial. Amor não é burocracia. Amor acaba, tem seu fim como tudo na vida. É inútil manter a ilusão, a casmurrice de que ele será eterno. O que importa é o sentimento de agora, sem cerimônia; porque amor não consiste em formalidades, mas sim no desejo de ser você mesmo ao lado de outra pessoa.

Anúncios

9 respostas em “Sobre amar oficialmente

  1. Ficou muito bonito esse seu novo cantinho aqui, Nina!
    Demorei a aparecer, pois a barra anda muito pesada pro meu lado, quase não dou conta de postar no blog, mas li tudo que você fez nos últimos dias. Atualizei minha leitura no Sobre Fatalismos.
    Quanto ao presente post, você resumiu bem a situação, quando conclui que amar é ser o que se é ao lado de outro alguém.
    Bjoooooooooooo!!!!!!!!!!!!

  2. Sabe anjo, cê tirou palavras da minha boca. Cê disse tudo com maestria e sou obrigado a concordar. Amor não deve estar sujeito a meras formalidades. Amor é muito mais que isso. É como você disse: ser você mesmo ao lado de outra pessoa.
    Eu mais que ninguém devia estar falando isso. Também não ligo pra essas coisas, apesar talvez de acabar realizando uns atos desses rsrs.

    Pra mim o mais essencial é aquela companhia, aquele prazer de estar perto de alguém que ama. E todo o prazer de se sentir amado, querido, confortado. Amor de verdade é o que importa. Aquele amor compartilhado em todos os momentos, bons ou ruins.
    Amor é isso mesmo…

    Se eu fosse levar em contra sua idade, acharia uma visão madura. Mas já a conhecendo melhor, você realmente tem uma visão bem diferente e bem centrada, particular. Apesar de nova tem um pensamento à frente. Admiro muito isso em ti. Você, de fato, é especial.

    Te gosto muito viu anjo.
    ;)

  3. Concordo contigo. Burocracia para que?
    Eu crio minha regras e as quebro quando bem quero.
    Alianças… Nunca usei. Mas não tenho probelmas com elas.

  4. Eu sabia que você ia dizer isso, mas não se trata de LARISSA, eu usei o dia que tive meu arranca rabo com MAIRA como inspiração.

  5. eeh mostra-nos que vc num éh futil e q naum prioriza coisas materiais!
    ameei o post e o assunto tbm,o q vale mesmo eh o amor !

    bejoos

  6. eu concordo com você…e até me inspirei a escrever sobre a banalização do amor…q anda acontecendo muito por ae =S

    adorei o novo cantinho!
    beijos

  7. É verdade, Nina, se o amor não tiver a simplicidade que ele carrega em sua essência, perde o sentido. Os enfeites que as pessoas colocam em torno do sentimento como dinheiro, luxo, vaidades, só corrompem o amor, fazendo-o diminuir.

    Gostei!

    Beijo.

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s