De primavera

A chuva já não está presente em minha vida há anos. Não da mesma forma de antes.
Houve um tempo em que ela comparecia do início ao fim da primavera. Chuva grossa de setembro. Cortinas grossas também em casa, frio, noite escura, ruas alagadas. As crianças da vizinhança não podiam sair. E caso isso acontecesse, teriam que se agasalhar, como era notável a recomendação de suas mães.
Isso não era tão importante. A chuva me prendia em casa e tal situação me agradava. A família ficava mais unida, mamãe ligava o rádio – naquela estação em que só tocava músicas do Roberto Carlos – e ia para a cozinha fazer o jantar. O jantar da primavera chuvosa era sempre farto. Papai chegava tarde, ensopado. Reclamava da chuva, de tudo. Mas sentava-se à mesa e a noite corria bem.
Somente as manhãs eram ensolaradas. Nem tanto, mas eram. Ainda havia resquícios de frio da noite anterior, eu andava de meias pela casa. Era Salvador, um frio do qual ninguém se acostumara, mas gelava, existia.
Hoje a chuva vem quente e abafada. O efeito do arco-íris é mais frequente. Depois da chuva, sempre vem o sol, o tempo que nunca passa e a impaciência contínua.
Tenho saudades de poder sentir a brisa que a chuva trazia. Ainda tento, saio de casa sem agasalho, capa ou guarda-chuva. A ameaça de um possível resfriado me é ignorada. Mas a chuva vem sem vento e, ainda assim, colhe tempestade.
Às vezes mal consigo sair de casa. Às vezes vou e volto completamente molhada. Mas a chuva da primavera de outrora nunca mais voltou. Aquela que me fazia esquecer os problemas enquanto o tempo seguia. Aquela que antecedia as datas religiosas comemorativas de fim-de-ano. Aquele chuva primaveril, quase um inverno americano que me encantou até os dez anos de idade.

Anúncios

6 respostas em “De primavera

  1. Tenho um texto, que está lá no blog, um dos primeiros, que se chama “eu gostava da chuva”. Mais uma vez percebo o quanto somos parecidos. rs rs
    Que bom!
    Tenho tenatado fazer as pazes com a chuva. Acho que é um estado de espírito.

    beijos pra ti

  2. Que texto bonito e tão cheio de significado :)
    Adorei a maneira como foi retratada a chuva aqui.
    Bjs.

  3. Engano seu mocinha, não gosto de moto também. Só me é mais convencional. E como sabe, infelizmente temos que conviver com muitas coisas – e pessoas – que não gostamos. Outra hora te conto.

    besosbeijosandkisses

  4. Faz tempo que a chuva não exerce qualquer efeito sobre mim. Sinto saudade da época em que ver as gotas escorrendo pelo vidro da janela eram motivo de inspiração e melancolia. Hoje, tenho aversão a chuva por ela sempre cair numa hora inapropriada.
    Bjitos!

  5. Oi oi oi, bem, tu não paras com as mudanças. Muito bem, deste uma vida nova ao blog mesmo antes do fim de ano como costuma ser normal ;)
    A chuva aqui vai e volta,mas quando volta, volta com tudo. Tem estado um frio tremendo, a chuva já ha muito que desapareceu.
    Aqui agora é inverno e eu estou desejosa que ele acabe bem de pressa :)

    bjokitas ***

  6. Sabe, e essa chuva já nem voa mais por perto mesmo. Toda essa essência reluzente diante de nossos olhos parece um espetáculo já ultrapassado, como dores que passaram ou amore que nunca vieram. Parece o tempo mostrando suas garras e evidenciando que as verdadeiras sensações se perderam diante de nós. E só nos resta aceitar essa nuvem negra balançando no nosso céu, encobrindo a verdadeira cor que se traduz do universo.

    Não cabe a você, nem a ninguém questionar porque a chuva de primaver se foi. Se observar bem não foi exatamente a chuva que nunca voltou, mas os nossos corações que nunca voltaram…

    Quando uma chuva para de cair, é o nosso coração que parece distante. Nós nunca perdemos um amor quando não o temos. E quando o temos não é ele que não volta, mas o nosso coração que deixa de buscar encontrar ele.

    Se tu acreditar, e realmente buscar, verás que a chuva de primavera não passa de uma metáfora para o verdadeiro quadro que devemos admirar… E nem por isso deixará de ser encantador. A “chuva de primavera” é a essência pura do amor que nos rodeia. E tudo de bom que podemos ver, sentir e amar.

    Feche os olhos… verás que estás mais perto dela do que imaginas. Porque o poder está em sentirmos e imaginarmos. Porque quem confia, quem acredita, tem TUDO.

    Grande beijo Nina.
    ;)

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s