Para Dreic Leal

“Te vejo errando e isso não é pecado,
Exceto quando faz outra pessoa sangrar
Te vejo sonhando e isso dá medo
Perdido num mundo que não dá pra entrar
Você está saindo da minha vida
E parece que vai demorar
Se não souber voltar ao menos mande notícias
Cê acha que eu sou louca
Mas tudo vai se encaixar.”
:: Na Sua Estante – Pitty

Eu sempre achei errado pedir para alguém mudar. Não é uma solução que se deve obter da noite para o dia ou por uma pessoa. Eu gosto de defeitos, daqueles que dão graça e são quase indiscutíveis. Mas o seu defeito se chama perfeição. Você é obcecado por isso. Você quer que as pessoas dêem certo como nos seus sonhos. E devemos reconhecer o fato de que sua mudança é caso de necessidade. Você precisa mudar. E logo. Precisa para não ter que ferir mais alguém. Precisa, para não ver os seus sentimentos abalados um dia ou os seus princípios massacrados. Precisa mudar por si mesmo. Não para mim. Nem para ninguém.
Você entende isso? Entende como eu também acabei mudando bastante nesses últimos meses? Porque se eu quisesse lembrar de você, certamente ouviria aquela música. Recordaria aqueles carinhos e derramaria outras tantas lágrimas que você nunca mereceu. Porque se eu pedisse para você voltar, certamente escreveria outros versos, usaria novas rimas ou tentaria uma reaproximação.
Eu estou amando agora e vou muito bem, obrigada. Tenho andado otimista, mas confesso que ainda sinto pena de ti. Dessa sua incapacidade de amar uma pessoa só, de valorizar uma única mulher e não cortejar tantas. Você fere sem perceber. Isso não é pecado, exceto quando faz outra pessoa sangrar. E pior: Você não tem vontade de se colocar no lugar de outra pessoa para saber o que ela sente. Isso se chama egoísmo, é muita falta de sensibilidade. É realmente muito triste saber que o teu comportamento ainda é assim.
Obviamente, eu devo estar me precipitando. Você é jovem, mas isso não lhe tira a capacidade de compreender o que estou dizendo. Eu só quero que você seja feliz. Eu não guardo mágoa, mesmo com os seus olhares reprovadores e as sete pedras que você carrega na mão quando me analisa desse modo. Já nem me importo. Quem não quer me ver de outra forma é você. Eu já fiz o máximo que pude.
E também é terrível saber que estamos em lados opostos, como dois inimigos. E no fim das contas, nem adianta discutir, porque você sempre vai dizer que a culpa é minha, que eu deixei de arriscar mais. Não lhe tiro a razão, a culpa foi minha mesmo. Mas em parte. Uma hora você também precisará assumir que errou e ai, quem sabe, nós nos sentaremos na cantina do colégio para jogar conversa fora, falar dos alunos novos ou o surgimento de uma banda independente de rock qualquer. Em suma, caso ainda não tenha ficado claro: Eu sinto a sua falta. E a imagem que tenho de você é daquele sorriso largo que, meu Deus, só você tem. É aquela simplicidade encantadora do teu modo de andar. É do quanto eu penso que você fica ridículo quando corta o cabelo e desleixado quando vai pro colégio de bermuda e Havaianas. Ou mesmo de quando você limpa o óculos na camisa e começa a falar de internet. Eu te chamo de nerd por causa disso, você sabe. Mas você é você. E ao menos esse teu lado bom eu não quero que mude.
Eu só quero dizer que, da mesma forma que não há mágoa, também não haverá segunda chance. E se escrevo isso é justamente porque não desejo que você compreenda esta carta como uma promessa de romance futuro ou reparação. Acabou e ficou no passado. E eu desejo que você tenha quem amar. E quando estiver bem cansado, que ainda exista amor pra recomeçar. Só não tenha medo de conversar comigo novamente. De sentar do meu lado para me fazer rir. Não se canse de procurar o meu timbre, o meu riso. Eu também não desisti de você. Tá tudo bem, tudo vai dar certo.

EU ESTAVA AQUI O TEMPO TODO
(só você não viu)

Anúncios

18 respostas em “Para Dreic Leal

  1. Meu me desculpa por ter lido este texto, pois é algo muito pessoal, mas tenho que falar que eu me sentia o cara para quem você escreveu. E uma coisa me veio a mente que é se você se separou dele por causa das cobranças de perfeccionismo e etc… então eu preciso mudar para não perder a minha mulher o meu amor!
    E obrigado por me mostrar isso a partir de hoje eu prometo melhorar a forma que a trato!

  2. Então, as coisas são realmente muito difíceis quando se olha por um lado só, vou te contar; eu me sentia na mesma situação, até que terminei =s. Sim, eu tive coragem. Mas depois de algum tempo, uns dois dias, quando eu já começava a tentar enchergar outros caminhos além dos que eu via eu recebo uma carta que em suma me pedia desculpas.

    “….é difícil admitir pra mim mesma, que eu sou a errada, a incompreensível,a que teve tudo na mão e não aproveitou, a que nesse momento,tá fazendo a pessoa que mais ama sofrer.
    É difícil não conseguir ser forte,a que sempre foi forte,a que sempre teve tudo sob controle,a que nunca se deixou abalar,a que pra tudo era simples,que pra tudo era “foda-se”.
    Aquela menina insensível,que até então nunca tinha amado alguém,tá aqui,te pedindo perdão por te magoar…”

    *-*

    tempo tempo tempo.
    andar devagar é melhor do que parar.
    =*

  3. Oi! Desculpaaaaa! Eu não avisei ninguém mesmo e estou tetando visitar as pessoas ao poucos… Fica brava não, eu adoro seu blog e seus textos. Você bem sabe disso! ;]

    Falando em texto.
    Linda a carta, você realmente escreveu e entregou a carta ou o desabafo foi só por aqui mesmo?

    Outra dúvida… Está amando? É correspondida?

    Curiosa a lot.

    Kiss

  4. Também sou contra mudanças. Não gosto de defeitos, mas isso de ter que mudar pra agradar alguém é complicado. Acho que o amor e admiração realmente existe quando vc pelo menos aceita os defeitos do proximo
    Beijo

  5. Bem! não sei se lembras de mim, mas te conheço e conheço a pessoa para qual escreveu está carta e desculpe-me por ter lido sua carta.
    Só gostaria de dizer que concordo com você, sobre tudo que escreveu sobre essa pessoa. Em todos os defeitos e qualidades, e que ele realmente busca a perfeição, mas se ninguém é perfeito! acho que quem tem que mudar e ele. Dreic a um garoto maravilhoso, que tem o dom de fazer as pessoas se apaixonarem por ele de uma forma impressionante, mas com o mesmo dom com que se apaixonam elas deixam de gostar. Por mérito dele mesmo.
    Sei que cada um tem sua dor, mas posso dizer que sei o que vc sentiu por que passei por uma situação parecida e fico feliz em saber que vc está superando e amando novamente. Lhe desejo toda felicidade vc merece.

  6. É inevitável querer que as outras pessoas mudem. O que a gente tem que tentar fazer é deixar a decisão da mudança com elas.

  7. É tão bom esse sentimento de não depender de alguém para se sentir bem. De não se sentir preso a uma pessoa, a um passado ou a uma dor mal resolvida. É se sentir leve. E a melhor parte é quando, depois de um tempo, nós conseguimos conversar sobre essas coisas, sem mágoa e sem contrangimento. Falar dos erros e dos acertos, do que foi bom e do que não foi. De desejar boa sorte e de dizer que está tudo bem.

    O tempo ainda está passando para mim. Logo, pretendo dizer muitas coisas como você. Talvez eu também escreva uma carta.

    Boa sorte pra ti
    beijos

  8. caracas quee liindoo tudoo isso *.*
    sabee o ultimo paragrafo atehe salveei akii
    pq estou precisando leer sempree algo assimm :)

    AMEEEI

    bejoos

  9. Finalmente, agora acho que posso dizer que você colocou uma pedra em cima da cova chamada Dreic Leal.
    Só quero saber quem é que te ajudou a fazer isso!

  10. Simplesmente amei seu blog. Ainda não li todos. Pretendo ler pelo menos alguns. Mas esse é lindo. Eu me emocionei. Você escreveu de uma maneira mágica e apaixonante. E fez isso muito bem mesmo!
    Não conheço sua história, nem ao menos sei se essa que você contou é verdade. Mas enfim, ficou linda!

    Muito obrigada pela visita no meu blog. Espero que tenha gostado e que volte mais vezes assim como voltarei aqui.

    Beijão.

  11. Meu Deus, é perfeita!
    Eu a poderia ter escrito para um alguém e esse mesmo alguém poderia ter escrito diversos trechos dessa carta para mim.
    Ainda bem que percebemos há tempo de não deixar com que as coisas piorassem e não houvesse mais tentativa de recomeço.
    Bjitos!

  12. nós precisamos tanto de pessoas, como a rosa do livro pequeno principe, existem milhares de rosas, mas era uma q o principizinho amava. existem milhares de pessoas, mas é uma que nós queremos :(

  13. Sinto que as vezes eu mudo involuntariamente. Tenho que estar sempre me policiando nesse caso.

  14. Minha Nina, o vento nem sempre sopra pra direção que a gente quer. É meio triste eu estar constatando isso, mas quando percebemos que aquela pessoa vira seus olhos para outro lugar, é porque deve haver algo que lhe chame mais atenção. É difícil compreender a razão de certas coisas, e o comportamento de algumas pessoas. Não devemos, como ser humano tentar fazer alguém mudar. As pessoas são como devem ser e escolhem. Não está em nossas mãos julgar. A consciência está lá dentro, na cabecinha daquela pessoa. As mudanças devem ocorrer espontâneamente. Que cada pessoa perceba que deu passos para trás e tente corrigir isso. Não cabe a nós. Cada um é responsável pelas suas pernas. Não ande pelos outros. Já me debati muito e sei como é difícil você guardar um sentimento aqui dentro, que se confronta com outras, e que te deixam metade apaixonada, outra metada irritada. Nessas horas não damos segunda chance, mas também não desistimos.
    A luta não tem fim. O principal motivo por qual as pessoas não conseguem se entender, é porque não conversam e não procuram se conhecer, e saber um pouco sobre a outra pessoa. Essa troca, essa de se colocar na pele do outro deve existir. Para que haja um maior respeito. Para que possamos entender o jeito de uma pessoa sem julgar, mas aceitando. Isso não faz a gente mudar, mas nos faz mais humanos em respeitar exatamente a personalidade e jeito daquele alguém quem tanto amamos.

    Tudo vai dar certo minha querida. O sol vai voltar mais uma vez.

    Beijos.

  15. Pingback: Vozes do meu rádio « sobre fatalismos

  16. Pingback: Ensaio sobre a beleza (interior) « sobre f a t a l ismos

  17. Pingback: A malfadada hipótese | sobre fatalismos

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s