Ausência tua

Keira Knightley, em cena do filme Simplesmente Amor

...

É você o meu melhor amigo e também aquele que nunca faz o que peço. E meus pedidos são simples – me leva para casa, fica mais um pouco -, você, porém, me deixa ir só e se desculpa afirmando que deve acordar cedo. Me sinto em desvantagem. Você é de escorpião (e, por ser tão carinhoso, acredito que tenha ascendente em câncer) e tem pleno poder sobre mim, sabe disso. Sempre retorno quando me chama, porém, à uma distância considerável, confesso, não olho para trás. Isso aprendi com a vida, meu anjo. Isso eu não posso mudar.
Amanhã, para você, é mais um dia. Para mim, é menos um. Tenho prazo de validade na vida e a nossa amizade está vencendo – o prazo. Se te vejo tão pouco agora, que dirá ano que vem, quando estivermos ainda mais atarefados em diferentes rumos, sentindo a fase adulta na pele, com mais responsabilidades e menos tempo. Como agora.
Te defino infantil, criança ingênua. Também isso é mentira (ou mais um mistério meu). Eu que sou ingêna para a tua capacidade de ser pensante, meu conselheiro fiel.
Discorremos sobre existencialismo, enquanto você, pé-de-valsa imperial, me faz rodopiar desajeitadamente pelo pátio da escola. Te faço um convite, um pedido, um favor. Você tudo nega, parece me punir. Talvez eu mereça, então só reclamo, tentando parecer séria, mas agindo de maneira mimada. Você não se comove, tampouco se convence.
Eu vou para casa com o coração apertado, querendo (e me lamentando) passar horas do teu lado, em silêncio ou reclamando da minha rotina suicida. Você não pode, eu finjo entender. Mas você sabe que, caso precisasse, eu ficaria sem me importar com a hora, porque você me faz um bem danado – eu é quem não devo ser boa companhia. Dess forma, aprendo menos e me distancio cada vez mais do que é reciprocidade. Mas a culpa não é sua. Você nem percebe que age assim comigo.
Sinto falta de Strokes, seguido de Chico Buarque. E do cheiro do sabonete depois que você termina a aula de natação e vem me abraçar. Também do seu olhar castanho e de suas “atitudes anti-semitas”. Estou sentindo falta. E acho que essa saudade não vai passar, mesmo depois. 

  

“Quando a gente conversa
Contando casos, besteiras
Tanta coisa em comum
Deixando escapar segredos
E eu não sei que hora dizer
Me dá um medo, que medo
É que eu preciso dizer que eu te amo
Te ganhar ou perder sem engano
É, eu preciso dizer que eu te amo tanto.”
:: Preciso Dizer que Eu Te Amo – Dé, Bebel Gilberto e Cazuza.

Anúncios

6 respostas em “Ausência tua

  1. em primeiro lugar, o visu do blog tá lindo!
    e bem, quanto ao texto, essas saudades… acabam conosco, não é?
    lendo o texto lembrei de uma música do Teatro Mágico: “E a tua ausência fazendo silêncio em todo lugar”
    silêncio corrosivo, ai…

  2. Esqueça a reciprocidade nesse tipo de relação. Esqueça esses conceitos moralistas que nos ensinam e temos que descobrir por nós mesmos que é tudo falsidade — mas deixe pra quando estiver pronta.

    Vá lá, chame de sexismo se quiser, mas homens e mulheres representam papeis diferentes e devem agir de maneiras bem distintas mesmo.

    “A moral é uma questão de tempo.” G. García Marquez (:

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s