Ode ao meu atraso baiano em Paulicéia revista.

Nobre e triste, desvairada Paulicéia. Sem ter dom para a arte versátil do verso, serei eu boêmia, a fazer poema: ser-te-ei poeta. Para expressar um dantesco sonho em tombadilho, como a vaga que se retira da praia, em dias de ressaca, que em ti não habita.
Paulicéia desvairada, o de Andrade sabe bem, sedentos de tua estrada, árdua, parda, cinzenta e além. Ademais que nunca finda, que à noite se infinita, pinta-se à vaidosa Augusta (tua namorada). Acordará ela cansada, pálida, de deslumbrados olhos, teu sinônimo de modernidade também vem a ser menina.
Comigo, Paulicéia, tudo anda em paz. Contigo nem tudo é azul. E devo dizer-te que não tenho sorte tamanha de viver na melhor cidade da América do Sul. Entretanto, para homenagear todo o seu encanto, atrevo-me e faço-me Alves, Castro, praça abençoada. Longe de ti estou, desvairada. Ademais voltarei, um dia. Aguarda-te presença minha, impaciente em tua velocidade atroz. Quero vagar intensamente na dura poesia concreta de tuas esquinas, vendo passar quase que indiscreta elegância nas tuas meninas. Hoje em dia há Rita Lee, a cantar-nos, a sorrir. Narciso vive em teu espelho, visto que só com a chuva tórrida de tão cruel garoa ele se afogaria. És tu, Paulicéia – mãe e guia -, cidadela criadora de personalidades mil, pátria amada, internacional, me mostra a cara desse Brasil.

“Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
Mais possível novo quilombo de Zumbi
E os novos baianos passeiam na tua garoa
E novos baianos te podem curtir numa boa”
:: Sampa – Caetano Veloso

Anúncios

14 respostas em “Ode ao meu atraso baiano em Paulicéia revista.

  1. Estava procurando na internet algo sobre esse post e agora encontrei seu blog, só tenho a agradecer a você

  2. Baby, baby, há quanto tempo… hahaha

    E pensei que diria à “Praça do Povo”: não permita, Deus, que eu morra sem que volte para lá

    Estive preso e aqui não pude vir, lamento por mim, visto que só eu perdi. Mas feliz fico em saber que continuas impecável.

  3. Estes versos não são soltos, são amarrados em um laço bonito e extravagante. Bendita seja Paulicéia que, desvairada ou não, fez-te poeta. Quem sabe eu não passo por lá, pra ver se funciona comigo também :}

  4. Gostei das referências musicais que você usou no seu texto. Ficou muito bonito. Sou apaixonada pela música Sampa e gosto de SP também.

  5. Eu <3 SP!
    Simplesmente amo a cidade onde nasci e não saberia viver sem sua belas feiuras e todo seu caos.
    Kiss
    ps: nãopode roer unha, moça! ;D

  6. acho o português de portugal tão bem utilizado.. me sinto um traidor da língua quando vejo um texto tão musical e bem escrito. é como se tivessem traduzido as mesmas letras e palavras em uma nova forma poética, cheia de nuances. belo texto!

  7. Maaaaaaaaaaaaaaaaaaaano… só volto a escrever quando for digna, como você foi com o seu texto belíssimo. Aplausos, em pé.
    beijos!

  8. A melhor homenagem que li até agora à terra da garoa.
    Nina, gostei tanto do meme que não canso de ficar pensando e repensando nas respostas. Aguarde porque uma hora sai!
    beijo

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s