Os nerds também amam

mixtape

O que é: As Teorias Selvagens.
Quem escreveu: Pola Oloixarac.
Qual é a história: A descrição da edição brasileira, lançada pela Benvirá é tão excelente, que decidi apenas transcrever aqui. Confira:

“Um peixe chamado Yorick e a uma gata chamada Montaigne. Uma jovem estudante de filosofia que persegue um velho professor pelos corredores da universidade. Dois adolescentes que descobrem em suas deficiências motivos para se unir. Uma jovem militante de esquerda que escreve cartas a Mao [Tsé-tung]. Uma teoria psicológica que explica tudo. O curso de Filosofia da Universidade de Buenos Aires como ponto de partida para analisar o mundo. O mundo como um emaranhado de teorias impossíveis, iluminadas e fugazes: teorias selvagens, para aqueles que estão andando em um vazio infinito 2.0”.

Só que isso não basta. Na contracapa está a melhor parte:

“Mistura de romance filosófico e comédia elisabetana na era do blog, As Teorias Selvagens é uma feroz sátira da fauna intelectual que reina na universidade. E um delirante tratado das perversões urbanas, do pornô underground aos videogames, das pílulas coloridas ao fast-food”.

Porque você precisa ler: Tenho um amigo que, além de ser jornalista cultural, também é desocupado profissional e trabalha brincando. Nisso, sua missão durante a recente edição da Flip era fazer uma matéria sobre esse livro, sua autora (que lá estaria) e a repercussão causada. O que me chamou a atenção foi que ele dissera que “é inconcebível que uma pessoa tão bela escreva tão bem”. Pedi explicações, afinal, “você diz que escrevo bem e que sou bonita, porque então juntar os dois fatores em uma só pessoa parece tão difícil?”, e ele explicou o motivo, que só pude compreender melhor depois que este viajou e eu decidi comprar o livro. As Teorias Selvagens, para início de conversa, não é literatura de sala de espera do dentista e exige muito conhecimento do leitor, pois ele traz muitas referências da Filosofia. Esse “tempero”, entretanto, não o torna difícil de entender – pelo contrário. É um livro divertido (zomba do Google, da política argentina, da postura intelectual), te faz rir, pensar, dialogar e se colocar no lugar dos personagens. A autora argentina, além de ser realmente bonita, escreve sobre tecnologia e artes; ama orquídeas, moda, ouve Gal Costa, lê best-sellers sem preconceito algum e transformou seu sobrenome em anagrama. Esse meu amigo retornou da Flip completamente desnorteado e apaixonado pela moça. Após a leitura de As Teorias Selvagens, não há como não virar fã e ficar com vontade de devorar todos os livros da Pola. Mas vá com calma. Esse é o seu primeiro livro, consequentemente um sucesso e já fora traduzido para diversas línguas em todo o mundo.

Capa

Contracapa

DOWNLOAD

FAIXAS:
1 – Entre Dos Águas – Juan Serrano;
2 – Tu Es Ma Came – Carla Bruni;
3 – Can’t Stand Me Now – The Libertines;
4 – Jardins da Babilônia – Rita Lee;
5 – Orgia – Ennio Morricone;
6 – Equalize – Pitty;
7 – Woo Hoo – The 5, 6, 7, 8’s;
8 – Hasta Siempre Comandante Che Guevara – Carlos Puebla;
9 – Run Fay Run – Isaac Hayes;
10 – What Ever Happened – The Strokes;
11 – Tu Es Ma Came – Carla Bruni;
12 – Entre Olas – Juan Serrano.

Abrir e fechar a mixtape com Juan Serrano e Carla Bruni representa duas coisas: as canções são absurdamente sedutoras e, quando se termina o livro, dá vontade de continuar com os personagens, saber o quê mais irão aprontar. Leva-se em conta o rock predominante: somente Pitty explica o amor entre Pabst e Kamtchowsky. Isaac Hayes é fundo musical para o que quer que esses dois estejam tramando. Ennio Morricone traduz a perseguição da aluna por seu professor. Carlos Puebla “foi sugestão” da própria Oloixarac, pois a revolucionária canção é citada no livro. Rita Lee talvez represente a repercussão do mesmo mundo afora. Demais restantes retratam um pouco da personalidade e envolvimento dos personagens na trama. O título é uma “singela homenagem” ao meu tempo de colegial, pois estar na companhia desses personagens tão maravilhosamente complexos é como retornar aos corredores da escola. Espero que gostem. Foi a melhor mixtape que já fiz, a que mais gostei até agora.

Pola Oloixarac, escritora.

Você pode seguir a @poliamida no twitter.

Anúncios

11 respostas em “Os nerds também amam

  1. Livro novo>> não leio. Porque não tem na minha escola. Mas vou guardar o nome porque há aremota possibilidade de pedir para quem vai à Natal comprar. *-*
    Quanto a playlist, ela me espera quando acabar TBBT…

  2. Pois é, or nerds também amam… rsrs
    No mais, este mixtape parece bem atraente mesmo. Acho que vou baixar.

    Ah, não precisa ficar com ciúmes… Você é vip lembra? Hours Concours… =)

    Beijo!

  3. Ai que legal! Amei a mixtape! Isso sem contar que fiquei com uma vontade enorme de ler esse livro! Lerei assim que for possível! (e será em breve, porque novembro tá chegando, junto com ele o vestibular e depois do vestibular o descanso merecido e tão aguardado pela minha pessoa!)
    Enfim, você me deixou empolgada! :)
    Beijos!!!

  4. Ler Teorias Selvagens era uma meta das minhas férias de julho. Li Allende, jornal maranhense, qualquer coisa menos a Pola. Ainda nem arranjei o livro pra falar a verdade. E por isso fico com uma certa inveja de você já ter terminado! hihi

    A verdade é que a sinopse e o enredo são realmente tão perfeitos que agora eu tô desejando encontrar algum defeito na leitura. Né possível que seja tão tão perfeito assim. A Pola realmente parece uma boa escritora e foi uma querida durante a Flip.

    E, putz, que difícil deve ser pensar em músicas para livro. Tudo bem que eu sou um nada em música, mas deve ser foda ligar as referências.

    beijo!

  5. Uma grande apresentação. Me deixou reallmente com vontade de ler esse exemplar. Para um tanto quanto fundamental.

    Quanto as referências musicais, aprecio essa interação das artes.

  6. Sempre que você fala de algum livro fico logo com vontade de ler, curiosa mesmo. Mas como tempo anda curto, e já estou lendo aquele tijolo que é Guerra dos Tronos, vou adicionando na minha lista de leituras futuras. Só que fiquei receosa, meu conhecimento de filosofia não é nem mediano, será que é suficiente?. Enfim, gostei da mixtape! Carla Bruni tem uma voz adorável, as músicas são lindas, sempre estou ouvindo no Ipod. O mesmo com The Strokes, adoro a energia das músicas deles. =]
    Beijo Nina!

  7. Eu conheci a Pola na FLIP, assisti sua mesa com o valter hugo mãe (textos maravilhosos, transbordam emoção), ganhei autógrafo e marca de batom no meu livro, foto (http://migre.me/5Scvy) e elogio ao meu nome. E, como eu era a mais nova na fila, ela ficou um tempão dizendo o quão impressionada estava por eu ser tão jovem e estar ali. Ela é realmente deslumbrante, linda e muito simpática! Mesmo :) Mas, infelizmente, ainda não consegui tempo para ler o livro dela. Guardei para as férias, quando vou respirar, me dar folga e ler o que eu quiser, não o que o trabalho manda.
    Beijos :*

  8. Pingback: Retrospectiva literária 2011 « #sobrefatalismos

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s