Chocolate, Mc Donald’s e laranja mecânica

O pior de trabalhar dentro de um shopping center não é o fato de que, da noite para o dia, você pode aumentar sua necessidade de consumo. Me permito compras adequadas como acessórios para o cabelo e livros bem baratinhos na livraria em que trabalho. E só. O que me angustia de verdade é a minha falta de educação alimentar.
Como estou casada desde janeiro, meu novo hábitat é constituído de pouquíssimas aquisições. Em suma, optamos pelo microondas ao invés do fogão. Ainda não nos arrependemos, mas às vezes penso o quanto um fogão seria mais significativo. Digo isso porque são poucas as opções de supermercado para quem tem aparelho microondas em casa. O cardápio se resume a lasanhas com sabor de plástico e macarronadas com excesso de molho. Como passo boa parte do dia fora e tendo a acordar tarde, pulo o café da manhã para almoçar no shopping. E então inicio minha saga.

Expectativa de uma boa salada, mas a realidade é o Mc Donald's.
Comida no Brasil é um negócio muito caro. Desde o ano passado, quando passei a frequentar restaurantes, fui com o meu marido a um já conhecido de comida oriental (e baiana) no centro da cidade. É um restaurante muito bom e não muito caro, mas também um pouco longe, pois leva uma andada daquelas. Então, prefiro sair de casa cerca de uma hora e meia antes de começar o meu expediente na livraria para alimentar-me na praça do shopping. No início, com a síndrome de taurina me atacando (medo de conhecer lugares e sabores novos), torci o nariz para metade dos restaurantes e passei mais de mês indo todos os dias, religiosamente, rumo ao Mc Donald’s. Imaginem o que significa comer cheesburger seguido de batata frita e refrigerante SEMPRE! Um absurdo. E olhem que ainda não me livrei disso, pois continuo frequentando o Mc nos dias que sei que chegarei atrasada ao trabalho. Viva o fast-food (só que não).
Em consequência disso, passei mal muitas vezes, devido ao meu coração fraco e pressão baixíssima. Troquei o Mc por um restaurante muito bom, logo ao lado, que serve “comida de verdade”. Ainda assim, não consegui diminuir o acúmulo de besteira. Sempre comia massa: arroz com torta de peito de peru, muita batata frita. Então, quando o meu marido foi comigo, decidi que ele faria o meu prato (já que ele é quem mais reclama – e com razão – daquilo que como e deixo de comer).
Ele fez um prato maravilhoso. Entretanto, de início, não fui muito com o aspecto da coisa. Era um prato vazio, só tinha salada (muito colorida) e, ao lado, picanha. Mas comi quase tudo e olha que gostei. Assim, decidi abolir de vez a massa do meu prato e fazer um cardápio parecido com aquele, todos os dias. Sempre ouvi falar que o colorido da salada é sempre muito bom – e permiti aqueles tons de vermelho, amarelo e verde no prato todo. Pego carne, picanha continua sendo minha predileta e consigo trabalhar bem disposta e sem sentir fome até às seis da tarde. Gostei da mudança que, aliás, considero muito saborosa.

"Keep calm and eat chocolate?", péssimo lema, querida.
Ainda continuo a não me alimentar direito pela manhã e também à noite. Resolvi o almoço, mas o problema também persiste no lanche do trabalho (tenho quinze minutinhos para “engolir” qualquer coisa). Como muita bobagem e recebo críticas ácidas por isso. Passei semanas devorando chocolate, até mesmo escondida dos meus colegas de trabalho (que muito opinam sobre a vida alheia), mas não me senti melhor. Sinto-me mal por dentro e me reconheço num péssimo hábito.
Avaliemos outros aspectos: na minha encarnação passada fui magérrima porque anoréxica. Acabei trazendo o atributo da magreza excessiva para esta vida. Sempre fui muito magra, desde os quatro anos de idade, mas nunca sofri de distúrbios sérios. Entretanto, jamais tive horário certo para almoçar ou jantar e sempre fui de trocar as refeições básicas por qualquer barrinha de chocolate ou pacote de salgadinhos (como confessei à Amanda, por esses dias). Quando estou com 40 ou 41 kg, tenho consciência da minha desnutrição. Tenho vinte anos e não passo dos 43 kg (IMC baixo também. Minha massa corporal é de criança). Pode parecer o sonho de muita gente, mas, embora também não seja um pesadelo, gostaria de me equilibrar na alimentação, largando de vez esses vícios.
Além de tudo, não somos ricos. Comer em shopping todo dia implica sim em faltar dinheiro no fim do mês e gastar mais do que se deve. Entretanto, a aquisição de um fogão também é traiçoeira: se comprarmos um baratinho, já sei que não durará muito tempo (experiência própria da convivência com os meus pais). E não temos dinheiro, no momento, para comprar um fogão bacana e digno.
A revista Gloss desse mês de julho trouxe uma matéria de incentivo para que nós, mulheres, mudemos nossos hábitos alimentares. Deparei-me com meninas viciadas em refrigerante e leite-condensado, também sabotando dietas. Meu maior vício é o chocolate: necessito dele para tudo, até escrever, pois tornou-se um estímulo. Segundo a nutricionista convidada para a revista, o ideal é comer um quadradinho de chocolate por dia, até a vontade passar (corresponde àqueles chocolates baratíssimos que a Cacau Show vende na boca do caixa, sorte que gosto do amargo, o mais recomendado) e cortar, bem aos pouquinhos, refrigerantes, frituras, etc.

Banana para comer, não para telefonar.
Pedi para a minha mãe me comprar banana na feira e fui à casa dela buscar. Eis uma fruta de que muito gosto. Minha maior dificuldade no café da manhã é o pão. Sou muito chata com pão. Tem um de queijo que vende na Perini que eu amo. Entretanto, apesar de trabalhar bem de frente para uma, sempre que penso em comprar, o dito cujo já terminou. E detesto café: gosto do aroma, mas o sabor me deixa nervosa e suada. Abomino. Para tanto, tentarei compor frutas e iogurte para aguentar o pique da manhã.
Cansei de comer tanta bobagem. De verdade. Acompanhem futuros declínios e evoluções.

Quero ser assim.

Anúncios

21 respostas em “Chocolate, Mc Donald’s e laranja mecânica

  1. A publicidade invadiu a minha praia. Alguns de vocês estarão visualizando várias propagandas flutuantes e links duvidosos por aqui. Não é culpa minha, estou brigando com o WordPress a respeito disso que tanto me incomoda. Agradeço quem puder ajudar. Beijos!

  2. Nina, boa sorte na sua nova dieta!
    Realmente é uma luta árdua, esse ano tive que mudar quase que completamente meus alimentos, porque embora tomasse café, almoço e janta, sempre era na hora errada, sem comer nos intervalos e comendo coisa pouco nutritiva… Me ajudou, porque criei hábitos melhores, mas não mudou quanto a disposição, rs! Pude perceber a diferença entre comer um salgadinho e comer um prato cheio de comida: você se nutre muito melhor e supre suas necessidades de vitaminas, etc etc… Claro que o salgadinho é mais rápido, mais saboroso às vezes, mas pensando a longo prazo, de que adianta a economia de uns minutos no passado, sendo que no futuro vc poderá estar mal nutrida?
    Eu tava pesando 46 e pouco depois de 6 meses de dieta, foi só ficar melhor da hipoglicemia que comecei a comer coisas erradas, engordei 2 kg em 1 mês!! E toda hora tava comendo, porque a fome nunca cessava… Enfim!
    Desejo sorte, força e perseverança! Vale a pena!!
    Beijos!
    Obs: a estratégia do chocolatinho por dia (ou por refeição, dependendo do vício) dá certo!!

  3. Oi, tudo bem Nina?
    Te digo que a minha realidade é praticamente igual a tua, troco um prato de comida caseira por um bom fast food ou então uma pizza da pizza hut, shopping pra mim é um paraíso, apesar de não poder adquirir tudo o que eu desejo nele na minha realidade atual, mas em breve, se deus quiser, conseguirei. Enfim, não sei cozinhar, não tenho vontade e fujo se falam que eu tenho que fazer. Já meu namorado prefere mil vezes um prato de comida do que ir comer no shopping ou em qualquer outro lugar uma comida diferente da caseira.
    É infelizmente, muito cansativo mesmo comer só no shopping, seja o que for, uma porque dói no bolso e outra porque tem uma hora que o teu corpo pede uma comida de verdade, ainda mais se for a comida da mamãe *-* Sou muito nojenta pra comida também, não como a de qualquer um, só a da minha mãe e agora comecei a comer as comidas que meu namorado faz, mas quem escolhe o cardápio sou eu, porque se deixar por ele como arroz e feijão todo dia, comidas que eu abomino.

    Adorei conhecer o teu blog e mais ainda ler esse texto, sou muito preguiçosa pra ler, mas o teu valeu muito a pena, porque é uma leitura gostosa e não é cansativa como as tantas outras que encontramos pela blogosfera.

    Beijo

  4. Também estou aqui pensando em mudar alguns hábitos alimentares meus. Se teu vício é o chocolate, o meu é o refrigerante, a Coca Cola para ser mais específica. Não consigo ficar sem. Há um tempo consegui ficar seis meses sem. Foi ótimo! Não sei porque agora não consigo. :(((
    Essa coisa de comer fora é uma cilada mesmo. Quando é barato, faz mal, quando faz bem é caro. Vish…
    Para mudar hábitos alimentares só tendo muita boa vontade.
    Estou torcendo por ti. Quem sabe eu não me inspiro? :)
    Beijo.

  5. nina!
    meu vício é o doritos e só compro duas vezes por mês, pois se eu tiver o trem em casa eu vou comer mesmo. todo dia. até acabar. rs! mudei muito meus hábitos alimentares nos últimos anos e atribuo parte do mérito dessa mudança à atividade física diária. a malhação me faz comer melhor. =)
    boa sorte no mundo de cores e sabores outros!
    beijomeu
    =)

  6. Sei como é isso. Minha mãe trabalha no shopping e, não só os horários do almoço/lanche, mas o que comer também é bem complicado. Ou é tudo muito caro, ou não tem tempo… E no fim o fastfood é a saída mais fácil. Mas é uma boa mudar os hábitos alimentares. Estou tentando fazer o mesmo ultimamente. Boa sorte pra nós, né? haha :D
    beijos!

  7. Acho que estamos na mesma fase! Embora eu não coma tanta besteira como você, ultimamente estou passando dos limites e isso a diferença no meu peso. Engordei uns 4 quilos que estão fazendo muita diferença! Não estou fazendo uma dieta exatamente, mas estou começando cortando as besteiras que eu comia antes. Aqui em cada todo mundo é super saudável, frequenta a academia e minha mãe é nutricionista, aí já viu né, pegam no meu pé sempre. Mas sobre o seu IMC, você precisa ter cuidado. Para acompanhar a sua dieta, aconselho você a ir à um nutricionista. Ele vai te passar uma dieta que você não vai sentir fome e ainda vai ganhar peso. Acho uma boa ideia. Entrar na academia também é uma boa! Eu sei todos os passos, só falta praticá-los.
    Beijinhos

  8. Achei tão digna essa mudança sua! Eu sempre quis mudar minha rotina alimentar, porque não tenho muito tempo pra pensar nela. Apenas como, infelizmente :/ Mas já cortei refrigerante da minha dieta há mais de seis meses e posso garantir: é de pequenos passos que tornamos nossas vidas mais saudáveis. Vá devagar, que você consegue!

    Beijo!

  9. Eu estou limpa de refrigerante há… dois dias. :P

    Falando sério, mudança de hábitos alimentares é sempre difícil. Se você sofre com magreza excessiva, eu estou no outro extremo, de quem não é gorda mas se vacilar chega lá. Emagreci um bocado nos últimos meses, com exercícios leves (mencionei o pecado da preguiça?) e melhorando a alimentação, mas sei que preciso melhorar muito mais. Portanto, desejo sorte nessa jornada em busca da comida perfeita.

  10. Eu prezo uma boa alimentação, o problema é que não me alimento. Como trabalho com artes e design, levo uma vida sedentária e ainda nos finais de semana encho o “pandú” de cerveja com pastel. Até pensei em parar de comer frituras e praticar mais exercícios físicos, mas cadê a vontade?

  11. muito obrigada, mas como tem tanta certeza que não acontecerá? tudo tem fim.

  12. Hmmmm, acho que vc precisa da Ana…
    http://www.lacucinetta.com.br/
    Ok, lá tem coisa complicada. Mas tb tem coisinha facinha e as explicações são ótimas… ;-)
    Quem sabe vc se anima pra comprar o fogão?
    E falando nisso, tive um da Esmaltec que só troquei porque marido resolveu que queria porque queria me dar um novo.
    Por mim, tinha ficado com o velhinho (mas não conta pra ele, ok??) ;-)

  13. Nunca fui uma pessoa muito saudável.A quantidade de chocolate que como é surreal. Eu peso 46 kg e já quero dar um jeito nisso. Cá estou eu, pensando em começar a fazer academia. Mas estou enrolando a tanto tempo. Boa sorte no novo hábito alimentar.

  14. Nossa, enquanto eu queria me livrar de comer besteiras, mas por questões estéticas. :| Mas acho que qualquer que seja o motivo para buscar se alimentar corretamente, a dificuldade é sempre presente, em maior ou menor grau. Eu confesso sempre que tenho uma relação péssima com comida, tudo que eu como me faz sentir culpa, mesmo que seja uma salada. Não sei explicar os motivos só sei que é assim mas tento superar isso e na maior parte do tempo, consigo. Hoje eu estou num momento em que mais me alimento bem de toda a minha vida, ainda falta superar cair nas tentações durante o fim de semana, que é o que tem sido mais difícil nesses tempos mas ainda chego lá. Espero que você também, no seu objetivo, Nina.

    Beijos

  15. Teve uma época em que eu era abaixo do peso, aí precisei engordar. Hoje em dia eu como bem, e faço esporte e tal. Mas eu nunca almoçaria direto no Mc Donald’s como você, por que eu odeio Mc Donald’s. É muito ruim, não tem gosto de nada, eu não entendo como as pessoas sofrem tanto pra largar o fast food. De qualquer forma, boa sorte com a nova alimentação. Só tenta manter o hábito, por que no início é fácil ter força de vontade para qualquer coisa, depois é que fica foda rs

  16. Sou desses que também só come besteira. Ao contrário de você, salada nunca passou e nem passará pelo meu prato. rs

    Mas tomara que você consiga remodelar sua dieta.Uma pessoa saudável vive mais. Contudo os que comem besteiras são mais felizes. rs

    Beijo

  17. Foda demais a rotina no shopping! Os horários são loucos e a comida é quase radioativa. Perdemos o direito de permanecer na cozinha sem que o machismo seja posto no debate e a dieta no lixo.

    Amo cozinhar! Boa sorte na sua reeducação!

  18. Estou apenas boquiaberta com a sua tendância à magreza. Eu fico aqui brigando com a balança enquanto como com hora marcada e frutas e iogurtes pra dar e vender.
    Mas olha, se alimentar bem não é tão difícil. E talvez o que te falta não seja exatamente um fogão. Eu fiz a opção inversa (sem microondas e com fogão) e a preguiça absurda de cozinhar sempre me vencia e eu apelava pra comida congelada. É só uma questão de tentar dar uma maneirada nos grandes vilões e tentar estabelceber uma rotina mesmo. O café da manhã ajuda muito, experiência d equem brigou com ele durante anos. E refrigerantes não fazem taaaanta falta. Alguém devia fazer uma ode ao suco de manga.
    Achei seu layout uma graça.
    Me diga se gostar de A Culpa é das Estrelas.
    Beijo!

  19. O engraçado de vc comentar sobre isso, de alimentação, é que é um mal universal. Poucos tem o privilégio de almoçar em casa, ou simplesmente tem tempo de fazer uma refeição em casa.
    Eu to loca da vida, pq até com colesterol alto eu estou. Mesmo achando que estava comendo direito!
    Precisamos mesmo cuidar mais disso!
    mto legal seu blog
    bjo
    opinandoemtudo.blogspot.com

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s