Ainda me lembro, era domingo

Alguma coisa acontece no meu coração quando hey, Jude, don’t-make-it bad, take-a-sad-song and make-it-betteeer. Re-member-to-let-her-under-your skin. Then you’ll begin to make-it-better-better-BETTER-BETTER-BETTER-BETTER-(pausa para estourar os tímpanos de algum civil inocente)-ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooh! Na, na na na na na na, na na na na, hey Jude! Na, na na na na na na, na na na na, hey Jude!

Cavern Beatles, banda cover.

Tudo isso porque a banda Cavern Beatles que faz cover dos rockeiros mais memoráveis do mundo se apresentou hoje, domingo, no shopping em que trabalho. O show começou no horário em que saí da livraria e nem eu mesma sabia que sabia tanta música dos garotos de Liverpool. É o tipo de coisa que só descobrimos quando cantamos. Lembro-me de que o mesmo aconteceu tempos atrás, na minha primeira festa longe dos olhares severos de adultos, na maior cidade da América Latina, sob a temática dos anos 60. Fui de John Lennon. Vesti uma calça Lee, coloquei uma camisa branca (sem sutiã), aproveitei o meu cabelo curto e furtei de uma amiga um óculos redondo com lentes azuis. Um traje à rigor. Queria que a Anna estivesse gritando tanto quanto eu, do meu lado. Voltei para casa ao som de “Velha e Louca” da Mallu, em um daqueles ônibus equipados com aparelho televisivo.

***

Era uma vez o homem que nunca havia dito “eu te amo”. Era uma vez a moça que, em vinte anos de existência (que pareciam muito mais), nunca tinha ouvido tal frase. Um dia, os dois se encontraram e não mais desgrudaram. Foram morar juntos, mas ela sentia aquele vazio, aquela falta do incompreensível. Às vezes, ela não tinha certeza do fato de se ele a amava ou não, embora agisse como quem amava verdadeiramente. Certo domingo, ela sentiu uma falta maior do que o normal – e confessou. Ele também confessou exatamente o que ela necessitava ouvir. A moça mandou dizer, parafraseando Caio Fernando Abreu: “vou ser feliz ali e não volto!”.

“Pensava ela na alegria,
Eu no feriado.
Ela dizia que esquecia,
Não acredito não.
Ainda me lembro, era domingo.”
:: Da música Enquanto Isso Na Lanchonete, do Vanguart.

Anúncios

6 respostas em “Ainda me lembro, era domingo

  1. Que dia mais musical, hein? Adorei a frase “É o tipo de coisa que só descobrimos quando cantamos”, acho que isso daria um bom post, sabia? :P Sabe-se lá quanta coisa a gente aprende enquanto canta! Espero que o parafrasear do Caio F Abreu seja auto biográfico. Beijos.

  2. Posso me gabar? Posso! Anna não poderia estar aí gritando do seu lado porque estava gritando Legião Urbana do meu lado na Avenida Paulista! <3

  3. OMG… pode parecer mentira, mas eu estava escutando Hey Jude… o.o
    Eu amo essa música, ela é muito legal.
    Que dia foi esse! Eu queria uma oportunidade dessas…
    Abç

  4. Quando nos vemos cantando é que percebemos que sabemos. Acho muito interessante isso. Beatles tem esse poder em nós. Hey Jude é clássica… Linda!

    “vou ser feliz ali e não volto!”.

    Minto. Eu volto… (risos)

    Beijo!

Fale com ela:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s